BRASIL / CIGANOS

Alvará de Ley, porque V. Magestade he servido ordenar, que no Estado do Brasil os rapazes de pequena idade, filhos de Siganos, se entreguem judicialmente a Mestres, que lhes ensinem officios, e artes mecanicas; e aos adultos se lhes assente praça de Soldados, e por alguns tempos se repartão pelos Presidios de sorte, que nunca estejão muitos juntos em hum mesmo Presidio..... que não vivão em bairros separados, nem todos juntos, e lhes não seja permitido trazerem armas.... e que as mulheres vivão recolhidas, e se occupem naquelles mesmos exercicios de que usão as do Paiz.... Lisboa, vinte de Setembro de mil setecentos e sessenta.

Alvará de Ley, porque V. Magestade he servido ordenar, que no Estado do Brasil os rapazes de pequena idade, filhos de Siganos, se entreguem judicialmente a Mestres, que lhes ensinem officios, e artes mecanicas; e aos adultos se lhes assente praça de Soldados, e por alguns tempos se repartão pelos Presidios de sorte, que nunca estejão muitos juntos em hum mesmo Presidio..... que não vivão em bairros separados, nem todos juntos, e lhes não seja permitido trazerem armas.... e que as mulheres vivão recolhidas, e se occupem naquelles mesmos exercicios de que usão as do Paiz.... Lisboa, vinte de Setembro de mil setecentos e sessenta.

Ref.: A0328

Não Disponível
Notificar-me quando disponível
Inserir Dados

ALVARÁ DE LEY, PORQUE V. MAGESTADE HE SERVIDO ORDENAR, QUE NO ESTADO DO BRASIL OS RAPAZES DE PEQUENA IDADE, FILHOS DE SIGANOS, SE ENTREGUEM JUDICIALMENTE A MESTRES, QUE LHES ENSINEM OFFICIOS, E ARTES MECANICAS; E AOS ADULTOS SE LHES ASSENTE PRAÇA DE SOLDADOS, E POR ALGUNS TEMPOS SE REPARTÃO PELOS PRESIDIOS DE SORTE, QUE NUNCA ESTEJÃO MUITOS JUNTOS EM HUM MESMO PRESIDIO..... QUE NÃO VIVÃO EM BAIRROS SEPARADOS, NEM TODOS JUNTOS, E LHES NÃO SEJA PERMITIDO TRAZEREM ARMAS.... E QUE AS MULHERES VIVÃO RECOLHIDAS, E SE OCCUPEM NAQUELLES MESMOS EXERCICIOS DE QUE USÃO AS DO PAIZ.... LISBOA, VINTE DE SETEMBRO DE MIL SETECENTOS E SESSENTA.

P.f. preencha e envie o formulário - quando esta obra estiver disponível receberá um e-mail automático a dar-lhe conta
Nome
Endereço de e-mail

(Lisboa): S.n., 1761.- 3p.;30cm.-C

Trata-se da mais radical ley da coroa portuguesa contra a etnia cigana, sugerindo ao mesmo tempo a importância daquelas populações nómadas na colonização brasileira.

Cartonagem em papel marmoreado.



Mais obras do(s) tema(s)   Brasil  |   Etnografia  |   Colonização portuguesa