BRASIL - moeda - (Alvará).-

Ley porque V. Magestade há por bem que na Cidade da Bahia se abra Casa de Moeda, & se lavre nella com novo cunho, & corra sómente naquelle Estado, sem que se possa tirar delle para este Reyno, com as penas nella declaradas... .-Lisboa, 16 de Março de 694.-

Ley porque V. Magestade há por bem  que na Cidade da Bahia se abra Casa de Moeda, & se lavre nella com novo cunho, & corra sómente naquelle Estado, sem que se possa tirar delle para este Reyno, com as penas nella declaradas... .-Lisboa, 16 de Março de 694.-

Ref.: B0188

Não Disponível
Notificar-me quando disponível
Inserir Dados

LEY PORQUE V. MAGESTADE HÁ POR BEM QUE NA CIDADE DA BAHIA SE ABRA CASA DE MOEDA, & SE LAVRE NELLA COM NOVO CUNHO, & CORRA SÓMENTE NAQUELLE ESTADO, SEM QUE SE POSSA TIRAR DELLE PARA ESTE REYNO, COM AS PENAS NELLA DECLARADAS... .-LISBOA, 16 DE MARÇO DE 694.-

P.f. preencha e envie o formulário - quando esta obra estiver disponível receberá um e-mail automático a dar-lhe conta
Nome
Endereço de e-mail

S.l. (Lisboa): S.n., 1694.-(4)p.; 28cm.-B

Trata-se do alvará seiscentista de D. Pedro II que tentando pôr côbro á desordem económica que provocava a multiplicidade de moedas que na época circulavam no Brasil, instituíu a primeira "Casa da Moeda" na cidade da Bahia destinada a cunhar moedas para se usarem exclusivamente naquele território. Lei do maior significado histórico e numismático, muito rara. O rosto vem adornado por uma bonita letra capitular ornamentada, com uma figura de rei no interior.

Cartonagem em papel marmoreado, com rótulo em pele na pasta superior com titulo gravado a ouro. Rosto com inscrição e rubrica, coevas. Peça de colecção.



Mais obras do(s) tema(s)   Economia  |   Brasil  |   Numismática