CRISTÃOS-NOVOS.- Eu El Rey faço saber aos que este meu Alvará virem, que querendo ElRey meu Senhor & Pay ( que Deos tem) atalhar o dano, que a Religião Catholica Romana padecia no Estado do Brasil, com perda de tantas Igrejas, & perigo de tantas almas, & evitar os roubos , & prejuizos... lhe concedeo (entre outros) o privilegio de os homens de Nação dos Christãos Novos que fossem condenados pelo crime de judaismo, não perdessem seus bens, entendendo-se avia de constar delles, assi dos que vivem dentro,


Ref.: B0777

Não Disponível
Notificar-me quando disponível
Inserir Dados

CRISTÃOS-NOVOS.- EU EL REY FAÇO SABER AOS QUE ESTE MEU ALVARÁ VIREM, QUE QUERENDO ELREY MEU SENHOR & PAY ( QUE DEOS TEM) ATALHAR O DANO, QUE A RELIGIÃO CATHOLICA ROMANA PADECIA NO ESTADO DO BRASIL, COM PERDA DE TANTAS IGREJAS, & PERIGO DE TANTAS ALMAS, & EVITAR OS ROUBOS , & PREJUIZOS... LHE CONCEDEO (ENTRE OUTROS) O PRIVILEGIO DE OS HOMENS DE NAÇÃO DOS CHRISTÃOS NOVOS QUE FOSSEM CONDENADOS PELO CRIME DE JUDAISMO, NÃO PERDESSEM SEUS BENS, ENTENDENDO-SE AVIA DE CONSTAR DELLES, ASSI DOS QUE VIVEM DENTRO,

P.f. preencha e envie o formulário - quando esta obra estiver disponível receberá um e-mail automático a dar-lhe conta
Nome
Endereço de e-mail

(Lisboa): S.n., 1657.-(4)p.:28cm.-C

Trata-se do alvará seiscentista de D. Afonso VI, a revogar um anterior de seu pai D. João IV a conceder aos Cristãos Novos a possibilidade de contribuirem com capitais para duas companhia se comercio, uma com o Brasil e outra com a Índia. D. Afonso decide que os cabedais confiscados pela Inquisição, e que eram vultuosos passariam a ser administrados pelo Fisco acabando de vez com essas projectadas companhias comerciais.Arouca (Alv.247)

Cartonagem em papel estampado. Marginalia coeva. Mancha antiga pela metade das folhas já desvanecida.



Mais obras do(s) tema(s)   Legislação antiga  |   Brasil  |   Inquisição