COLAÇO, Jorge

Carta autógrafa assinada. Dirigida a uma senhora a quem o poeta agradece favores e pede "licença para lhe enviar o meu ultimo soneto: todos os que como eu, acham sempre imperfeito o que fazem temem sempre incomodar ou aborrecer com as suas producções, assim que encontram alguem que os distingue com a benevolencia com que V. Exª me tem distinguido, abusam facilmente. Perdoe-me!" Segue-se o soneto intitulado Dispersão.

Carta autógrafa assinada. Dirigida a uma senhora a quem o poeta agradece favores e pede \

Ref.: M088

Preço: €40.00

 

CARTA AUTÓGRAFA ASSINADA. DIRIGIDA A UMA SENHORA A QUEM O POETA AGRADECE FAVORES E PEDE \"LICENÇA PARA LHE ENVIAR O MEU ULTIMO SONETO: TODOS OS QUE COMO EU, ACHAM SEMPRE IMPERFEITO O QUE FAZEM TEMEM SEMPRE INCOMODAR OU ABORRECER COM AS SUAS PRODUCÇÕES, ASSIM QUE ENCONTRAM ALGUEM QUE OS DISTINGUE COM A BENEVOLENCIA COM QUE V. EXª ME TEM DISTINGUIDO, ABUSAM FACILMENTE. PERDOE-ME!\" SEGUE-SE O SONETO INTITULADO DISPERSÃO.

P.f. preencha e envie o formulário - quando esta obra estiver disponível receberá um e-mail automático a dar-lhe conta
Nome
Endereço de e-mail

Parada de Gonta, 13 Agosto 1920.- 1p.; 37cm.

Em papel muito encorpado, com dobras. Pequeno defeito numa margem que afecta o inicio de duas linhas do soneto.



Mais obras do(s) tema(s)   Manuscritos  |   Cerâmica / Ceramics  |   Autógrafos / Autographs